Carta para uma ex amiga!

12:00


Pensei eu que nunca iria dizer isso de nós duas. “Ex” é uma palavra que não se passava na minha cabeça quanto a nossa amizade, mas como uma surpresa do destino, foi. Logo nós, que nos conhecíamos tão bem. Que sabíamos de todos os problemas da outra, que nos aconselhávamos tanto...

Quando lembro de nós, fico me perguntando até quando devemos suportar as diferenças? Sim. Somos de mundos totalmente diferentes. De épocas diferentes (como você mesmo dizia, pela nossa diferença de idade). De cabeças diferentes e de maturidade também... Mas eu, na minha ingenuidade, acreditava que apesar de tudo isso, o que realmente importava era a amizade que nutríamos uma pela outra. A vontade de ver a outra bem, de ver feliz. 

Com o passar do tempo vi o quanto as diferenças foram me desgastando. Não tinha mais paciência, nem resistência. Me isolava pra não entrar em um confronto. Fingia concordar pra evitar uma briga. Engoli tantos choros e tantos sapos que já estava sem ar. Engasgada com tudo de ruim que estava dentro de mim e eu não podia colocar pra fora. Afinal, meus problemas sempre eram menores, minha maturidade não era o suficiente, meu conhecimento também. 

Aliás, naquela altura do campeonato, nada parecia o suficiente. Eu sofria com os meus problemas, com os teus e com os nossos (pois nossa amizade vivia por um fio, um fio de eletricidade, daqueles que ao se partir faz muito barulho). Eu não estava mais dando conta de tudo aquilo que estava engasgado. Eu tinha medo de dividir meus segredos contigo, por medo de um julgamento e eu me sentir pior que já estava. Eu achava que não tinha mais direito de desabafar, afinal, você já tinha problemas demais nas costas. 

Tudo tava pesado demais pra mim, então resolvi ir embora. Quando você se afastou do nada eu me culpei, chorei, e depois achei que era a hora de aproveitar a ocasião e partir. Aquilo já estava mais fazendo mal que bem. Aquelas bagagens já não me permitiam a liberdade de caminhar por onde eu queria. Eu me sentia presa em mim mesma. Não queria te magoar, mas eu já estava em pedaços.

Quero que saiba que fui, mas jamais esquecerei o que vivemos e principalmente, tudo que aprendi contigo, tudo de bom que me proporcionastes, e serei eternamente grata a ti por tudo. Infelizmente talvez não esquecerei as humilhações, as brigas (em que na maioria das vezes eu pedia desculpas pra ficar tudo bem). Às vezes que passei por cima das minhas vontades pra satisfazer as suas. Amiga, apesar de tudo, até das lágrimas, eu te quero bem. 

Quero que sejas feliz, quero que tenha sucesso, e espero que tu encontres uma amiga que tenha mais maturidade, mais cabeça, ou seja um pouco mais vivida que eu. Que ela seja capaz de te ensinar o que eu quis, mas não consegui. Que ela esteja do seu lado e não fique engasgada com nada- e que você possa entender e ouvir tudo que ela tem a te dizer. Eu desejo que essa nova amizade seja um laço eterno. Eu desejo que acima de tudo, nossa amizade se torne uma história boa, uma lembrança que marcou, e uma lição para o resto de nossas vidas.


THAÍS DUTRA

  Uma arquiteta sonhadora, curiosa, amante das palavras, questionadora de tudo e doida.
Carrega um alegria no olhar e é arretada ao falar.

You Might Also Like

0 comentários

Subscribe