Mal me teve e me perdeu

12:00



Estava olhando meu feed do instagram e apareceu uma foto sua, assim, de repente. E tão de repente quanto, às lembranças de você começaram a visitar meus pensamentos. Me questionei sobre tanta coisa, sabe? Me deu saudade... tem tanto tempo que a gente não se fala e, para ser bem sincera, eu não consigo me lembrar aonde foi que perdemos o contato. Era tão bom conversar com você e do nada você sumiu. Mas estava feliz. Vi nitidamente pelo seu sorriso espontâneo e sincero, que você estava feliz. Que bom. Juro que não estou um pouco triste por você continuar espalhando sorrisos por aí sem que eu seja o motivo dele. Juro que não estou preocupada que você tenha sumido porque encontrou alguém e me esqueceu.

Mentira, não juro nada. Estou triste sim. Estou preocupada sim. E sim, eu quero saber o que aconteceu.

Quando saí dali e fui para a próxima rede social, você apareceu no topo do feed outra vez. De repente, claro. Nem parecia o destino tentando me avisar que eu precisava acabar com todas essas dúvidas que ficavam me atrapalhando de seguir em frente e te esquecer, como você, aparentemente, fez comigo. Sei que às pessoas seguem suas vidas e que algumas relações simplesmente não eram pra ser. Eu sei. Só que na minha cabeça – bem maluca, eu confesso – não faz sentido algum você parar de me mandar mensagem dizendo “Ei, por que sumiu?”, todas às vezes em que eu me ausentava por mais de 48 horas. Só precisavam 48 horas para você me procurar, e agora, passaram meses e nenhuma notícia sua.

Eu sabia que era errado. Meu coração me dizia isso. Gritava com cada pulsar acelerado que ele dava. Mas você me conhece, não sou de obedecer. Eu queria saber o que houve. Não hesitei em te procurar, afinal, você nunca me contou o porquê do nosso ponto final. 

- Ei, tudo bem? Deve ser estranho receber essa mensagem depois de tantos meses. É que hoje, a dúvida do porquê acabou me assombrou por todos os lugares em que passei nessa internet. Você estava em todos os cantos. Talvez não me responda, e eu entendo. Talvez você dê risada e mude o assunto, também entendo. Mas, se ainda existe aquele um por cento de você que tem sentimento por mim, me diz o que aconteceu? Talvez eu não possa mudar o que mudou na gente, mas eu quero pelo menos saber pelo que não estou lutando. O porquê de a guerra ter acabado fria.

Eram apenas 19h, acredita? E eu fui dormir às 23h e você não me respondeu. Mas eu passei pelo seu contato à cada meia hora, e te via com uma bolinha verde reluzente dizendo que você estava lá, só não queria falar. Pelo menos não comigo. E ao acordar às 07h, olhei para o celular e havia uma mensagem sua. Muita coisa muda com o passar dos meses. Muitos hábitos, muitos gostos, mas você não mudou. Quando li, era a mesma mensagem curta e grossa que sempre recebia. 

“Só não quero mais. Sei lá, enjoei. Foi mal.”

Eu olhei aquela mensagem e sorri. Sabe aquele sorriso desajeitado que a gente dá quando está magoado e não quer aceitar? Foi o meu sorriso. Coloquei a playlist mais deprê que imaginei e deitei. Deitei para chorar, mas às lágrimas não queriam cair. Acho que eu tinha uma dúvida, um sentimento, mas não sentia mais a sua falta. E enquanto pensava, senti o celular vibrar. Era outra mensagem sua.

"A gente podia tentar se ver, quem sabe não exista outra chance, né? Não custa tentar."

Nesse momento me questionei aonde foi que achei que tínhamos algo especial. Nunca tivemos nada. Eu sorri outra vez. Só que agora, era um sorriso de liberdade por ter percebido que você era idiota demais para meu coração amar. Você dizia que eu era exatamente o que sempre quis, talvez você realmente sempre tenha desejado alguém ao seu lado que acredite em cada mentira mal elaborada. Eu era o que você queria enquanto você não encontrava um outro querer. E agora que não quero, e que provavelmente alguém também não quis, eu servi novamente, não é? Não sou sua calça velha jogada no guarda-roupa que só usa quando para de ir ao McDonalds todos os dias e perde uns quilinhos. 

Agora era tarde demais. A primeira mensagem é a que vale, viu? 

Durante muito tempo eu quis tanto que você ficasse, que aguentei cegamente cada sinal de desamor que você me dava. Mas você se foi. E quando foi, perdeu um amor que podia ser incrível e só seu. Mal me teve e me perdeu. 






 STEPH ALMEIDA.
20 primaveras nem sempre tão floridas assim. Baiana do interior e libriana que nunca é indecisa. Escreve em mais blogs do que consegue contar nos dedos. Viciada em café, John Mayer, super-heróis, séries, livros, dias frios e chuvosos, pipoca, jujuba, chocolate e amores que arrepiem a alma. Passa à maior parte do                                                                 tempo lendo por amar imaginar um mundo novo e uma nova                                                          história à cada livro. E escreve com o coração - que é feito um furacão.
                                           SITE | FANPAGE | INSTAGRAM | TWITTER



You Might Also Like

2 comentários

  1. Aquele PAH na cara ne mores? "E quando foi, perdeu um amor que podia ser incrível e só seu. Mal me teve e me perdeu. " AMEEEEI

    ResponderExcluir

Subscribe