Mesmo diante da promessa, resolvi fazer a carta de despedida!

16:00



Então eu prometi que não falaria e muito menos escreveria algo sobre você, mas sabe o que acontece, eu tenho a péssima mania para escrever textos para todas as fases da minha vida. Infelizmente, toda essa história faz parte de uma fase dela.

Prometi para mim mesma que não iria chorar enquanto escrevesse este texto de despedida, pois tenho a certeza de que garotas grandes não choram (e eu sou uma garota grande).

Não sei se você notou, mas eu derramei uma pequena lágrima enquanto te observava. Tenho quase certeza que você não reparou, como nunca repara em nada que eu venha a fazer para ou por você. Mas olha, eu não te culpo. Talvez devesse né, mas acho que chegou o momento de esquecer as culpas.

Eu tento me recordar o momento exato em que chegamos neste ponto. O pior é que eu não consigo me lembrar, mesmo tentando buscar na memória todos os momentos que vivemos juntos (e todos os outros que você se negou a viver comigo).

Acho que fui eu que permiti que chegasse neste ponto de você só me procurar quando suas carência bate ou quando não tem ninguém melhor para conversar. Erro meu e eu assumo.

Assim como assumo ser uma perfeita idiota (e olha que essa afirmação eu faço com lágrimas nos olhos, aquelas mesmas que eu recusei no início do texto). 

Talvez você não tenha percebido, mas este é um texto de despedida. Preferi deixar claro para você, pois a sua péssima mania de não reparar nas coisas que faço pode te impedir de notar a nossa despedida. 

Sabe, o pior de tudo é essa necessidade de se despedir de algo que não vivi, de ter que se desfazer de lembranças que o coração fez questão de arquivar. Agora a missão é esquecer tudo aquilo que não vivemos e também tudo o que restou somente nas lembranças.

Cuide-se, porque com certeza eu vou me cuidar, quem sabe em outro momento, quando eu conseguir transferir a porra do espaço que você ocupa no meu coração, a gente conversa sobre isso e sobre todos os sinais que você ignorou.

Às vezes parece até que você fez questão de magoar meu coração e derramar todas as minhas lágrimas no meio da noite - aquelas que derramei esperando você me notar e mandar uma mensagem dizendo que realmente estávamos juntos.

Só que não, nunca estivemos juntos e nunca estaremos. Cheguei nessa conclusão com lágrimas nos olhos, mas vai ser melhor assim.


      ANDRESSA LEAL.
Andressa, desde 1986. Mauá - SP,  1986, paulista, nascida em Santo André, criada e residente de Mauá. Enfermeira por formação, sem exercício da profissão, e escritora por paixão.
Encontra na escrita a sua rota de fuga e seu refugio único. Não é aquele tipo que se define, acredita que quem muito se define, acaba se limitando.

You Might Also Like

0 comentários

Subscribe